Press Releases

Vodafone Paredes de Coura com novas confirmações

Sexta-feira, 20 de Abril de 2018
O folk de Kevin Morby, o desert groove dos Imarhan, soul britânico de Myles Sanko, a pop eletrónica da libanesa Yasmine Hamdan, e os portugueses X-Wife, Ermo, Smartini, Dear Telephone, Fugly e Grandfather’s House são as mais recentes confirmações na 26.ª edição do Vodafone Paredes de Coura.

“City Music”, o mais recente álbum de Kevin Morby, é uma coletânea inspirada e dedicada à experiência metropolitana pela América e a toda a vontade de viajar que existe no músico.  Enquanto “Singing Saw”, de 2016, surgiu como um projeto autobiográfico, “City Music” é o oposto desse solitário sentimento. O resultado é uma carta de amor dedicada a todas aquelas cidades que o compositor não consegue esquecer e que vai apresentar no seu regresso à Praia Fluvial do Taboão.

Quando lançaram o álbum de estreia, em 2016, a intensa visão da música dos Imarhan conseguiu vingar num universo repleto de talento e transformar a banda num registo fundamental da nova música tuareg. “Temet” é o mais recente registo dos naturais de Tamarasset e um passo em frente na sua criatividade musical e produtora. Enquanto “Imaharn” foi inspirado na tradição do blues, o segundo disco viaja por sonoridades de funk, fuzz, disco e rock. “Temet” (que em Tamasheq significa ligação) e Imarhan apelam ao despertar para a união e relembram que só na aceitação é que poderemos resolver os problemas culturais da atualidade.

Com uma voz crua e poderosa Myles Sanko tornou-se um dos maiores nomes da música soul atual. Natural do Gana, o cantor junta leveza e força nos seus temas, construindo mensagens de otimismo e esperança inspiradas nas grandes vozes das décadas de 1960 e 70. “Just Being Me”, de 2016, acrescentou um capítulo importante à história do soul britânico. Conhecido pelas suas poderosas atuações ao vivo, Myles Sanko traz o jazz, soul e groove à 26.ª edição do Vodafone Paredes de Coura.

Desde que surgiu como parte do emblemático duo Soapkills que Yasmine Hamdan é considerada um ícone da música underground. Na altura, a banda formada na cidade de Beirut, foi o primeiro grupo de indie eletrónico a surgir no Médio Oriente. Pioneira da música pop na região, Yasmine continuou a carreira e ganhou visibilidade enquanto cantora, compositora e actriz. Ainda que com uma voz ligada às tradições da música árabe, as estruturas e arranjos incorporam sonoridades eletrónicas do pop e do folk ocidental contemporâneo à música da artista libanesa. “Al Jamilat”, o último álbum a solo lançado em 2017, foi produzido por Yasmine juntamente com Luke Smith e Leo Abrahams, e conta com colaborações de Steve Shelley (Sonic Youth) e Shahzad Ismaily.

Após uma pausa que levou os músicos a dedicarem-se a projetos paralelos, João Vieira, Rui Maia e Fernando Sousa estão de regresso como X-Wife. As canções que compõem “X-Wife” são temas trabalhados ao mais ínfimo pormenor e contam com várias participações que vão de Fred Ferreira e Nuno Sarafa na bateria, a João Cabrita no saxofone, às vozes de Rita Silva e Liliana Marinho e percussões e misturas de Zé Nando Pimenta.

Depois do lançamento do primeiro EP homónimo, o jovem duo de música eletrónica Ermo, chegou com “Vem por Aqui”, o primeiro longa duração que recebeu largos elogios pelo seu carácter inovador e desprendido de género. O novo álbum retrata o comportamento humano, engolido pelo mundo digital e apresenta nove faixas sobre dois humanos do lado de lá do espelho.

Também os portugueses Smartini são uma estreia na 26.ª edição do festival. Depois de “Sugar Train”, em 2007, disco que marcou o contexto da música alternativa, a banda de Guimarães regressou em 2016 com o EP “Liquid Peace” e continua a vincar a sua posição no panorama indie rock e experimental da cena portuguesa.

Inspirados no nome da curta-metragem de Peter Greenaway, os Dear Telephone juntaram-se em 2010 para deixar expressa a vontade de decantar soap operas e melodramas de bolso em pequenas composições. Depois de um primeiro registo recebido com entusiasmo, e de um longa duração que os levou além fronteiras, dedicaram 2016 à composição de “Cut”, editado em 2017. Graciela Coelho, André Simão, Ricardo Cibrão e Pedro Oliveira continuam a explorar as subtilezas do formato canção numa sonoridade que é cada vez mais expansiva e directa.

Dois anos depois do primeiro EP “Morning After”, os Fugly seguem o seu percurso em busca do caos e da excentricidade frenética do noise e do garage com o novo “Millennial Shit”. Pedro Feio, ou Jimmy, começou o projecto em 2015 quando se cansou de estar atrás da mesa de mistura e sentiu vontade de subir aos palcos. Mais tarde, convidou Rafael Silver e Nuno Loureiro para juntos misturarem garage com psicadelismos e influências díspares, próprias de quem passou a adolescência a ouvir tudo o que foi feito nas décadas de 1960 e 70.

Em meados de 2012, Tiago Sampaio surgiu com Grandfather’s House mas não demorou muito até transformar o formato one-man-band em banda completa como a adição da voz de Rita Sampaio e a bateria de Ana João Oliveira. “Diving”, o mais recente disco do grupo, conta com a participação de Adolfo Luxúria Canibal, Nuno Gonçalves e Mário Afonso. Com uma sonoridade mais densa, o novo trabalho explora as memórias e as emoções numa evolução que cresce da raiva até à paz.

A 26.ª edição do Vodafone Paredes de Coura está de regresso à Praia Fluvial do Taboão, de 15 a 18 de Agosto, por onde vão passar os já confirmados Arcade Fire, Fleet Foxes, Kevin Morby, Skepta, Jungle, King Gizzard & The Lizard Wizard, Slowdive, Myles Sanko, The Blaze, Big Thief, …And You Will Know Us By The Trail Of Dead, Curtis Harding, Shame, The Mystery Lights, Pussy Riot, Marlon Williams, Lucy Dacus, Imarhan, Yasmine Hamdan, Dead Combo, X-Wife, Japanese Breakfast, Confidence Man, Frankie Cosmos, The Legendary Tigerman, Linda Martini, Keep Razors Sharp, Surma, Ermo, Smartini, Dear Telephone, Fugly e Grandfather’s House.

Os passes gerais para o festival podem ser adquiridos no site oficial e ainda em bol.pt, Ticketea e locais habituais (FNAC, CTT, El Corte Inglés,…) pelo preço de 100€, com campismo incluído (limitado ao espaço existente). Está também disponível o travel package da Festicket que inclui, para além do passe geral, outras opções de alojamento durante os dias do Vodafone Paredes de Coura.

Os passes gerais também podem ser adquiridos na APP oficial do festival, com um desconto de 20% exclusivo para clientes Vodafone (stock limitado).

Contactos

Para esclarecimentos adicionais, por favor consulte a Direcção de Estratégia e Comunicação Externa da Vodafone Portugal, através do formulário de contactos institucionais