Press Releases

Fundação e Grupo Vodafone lançam iniciativas de combate à violência doméstica

Quinta-feira, 7 de Março de 2019
A Fundação do Grupo Vodafone anuncia expansão internacional de App para apoiar as vítimas de abusos e violência doméstica.
  • Estudo internacional, promovido pela Fundação do Grupo Vodafone, revela de que forma a violência doméstica impacta as vítimas no seu local de trabalho
  • Em alinhamento com as iniciativas promovidas pela Fundação, as quais estão direcionadas para a Comunidade, o Grupo Vodafone anuncia o seu compromisso de apoio a Colaboradores vítimas de violência, através da aprovação de uma nova política de Recursos Humanos

A Fundação do Grupo Vodafone e o Grupo Vodafone anunciam duas novas iniciativas que pretendem contribuir para o combate à violência doméstica.

Na vertente da Comunidade, a Fundação do Grupo anuncia a expansão internacional da Bright Sky, uma aplicação gratuita que permite apoiar as vítimas de violência doméstica, possibilitando que, de uma forma fácil, as vítimas possam registar os incidentes num diário digital totalmente seguro, bem como poderem obter informação e conselhos úteis através de entidades especializadas no apoio à vítima.

Paralelamente, e em total alinhamento com o trabalho desenvolvido pela Fundação Vodafone, o Grupo Vodafone anuncia o seu compromisso em implementar uma nova política de Recursos Humanos, especificamente desenhada para apoiar as vítimas de violência doméstica e outros abusos nos 25 países que constituem o Grupo Vodafone. Estes Colaboradores da Vodafone, vítimas de violência doméstica e outros abusos, passarão a ter acesso a um programa de apoio e aconselhamento especializado, e a poder usufruir de uma licença remunerada até 10 dias, independentemente da parte do globo onde se encontram.

Ao mesmo tempo, a Vodafone dotará as suas equipas de Recursos Humanos da formação necessária para que possam apoiar os Colaboradores vítimas de violência doméstica.

Esta não é a primeira vez que o Grupo lança, à escala global, iniciativas desta natureza. Entre as várias medidas adotadas destacam-se, por exemplo, o maior programa mundial de recrutamento para mulheres em interrupção de carreira, o ReConnect. Esta iniciativa pioneira a nível global permite aumentar o número de mulheres em cargos de direção, contribuindo para promover a igualdade de género.

“Faz parte do propósito da Vodafone dar acesso e criar oportunidades para todos, removendo as barreiras que impeçam a sua inclusão. São vários os programas desenvolvidos pela Vodafone direcionados para Clientes e Colaboradores, bem como pela Fundação Vodafone Portugal para a Comunidade em geral.  A App Bright Sky e a nova política de Recursos Humanos de apoio às vítimas de violência doméstica são mais duas iniciativas inovadoras e diferenciadoras, que integram a nossa estratégia de diversidade e inclusão. Trata-se, pois, de mais um passo para atingirmos o objetivo de sermos uma das melhores empresas para trabalhar, onde efetivamente todos se sintam bem”, refere Luísa Pestana, Administradora com o pelouro dos Recursos Humanos da Vodafone Portugal e Presidente da Comissão Executiva da Fundação Vodafone Portugal.

Bright Sky

A aplicação Bright Sky permite que os utilizadores localizem, de forma rápida e intuitiva, o centro de ajuda mais próximo, através da pesquisa automática da área geográfica, código postal ou localização atual.

A App disponibiliza também um breve questionário que ajuda os utilizadores a avaliar a segurança do seu relacionamento, bem como fornece informações sobre diferentes formas de abuso, os tipos de suporte disponíveis, as etapas a serem consideradas para terminar um relacionamento abusivo e conselhos para ajudar amigos afetados por violência doméstica.

Outra das potencialidades da App Bright Sky é a possibilidade de se registarem os incidentes de violência doméstica sem que nenhum conteúdo fique guardado no smartphone. Os utilizadores podem registar os incidentes num diário digital totalmente seguro, através de texto, áudio, vídeo ou foto. As evidências recolhidas através dessa função poderão permitir que as autoridades policiais atuem, assumindo um relevante papel no eventual desenvolvimento de processos judiciais.

Depois do Reino Unido, Portugal será um dos primeiros mercados a lançar esta aplicação, a par com a República Checa, Irlanda, Itália, Malta e Roménia. No mercado nacional, a Fundação Vodafone Portugal trabalhará com parceiros locais para adaptar o conteúdo da App às necessidades e realidade Portuguesa. A App estará disponível na versão Portuguesa para download no decorrer dos próximos meses.

Disponível no Reino Unido desde abril de 2018, a Bright Sky já foi descarregada mais de 10 mil vezes. Esta iniciativa resulta do trabalho de mais de uma década levado a cabo pela Fundação do Grupo Vodafone para desenvolver serviços móveis para apoiar as vítimas de violência doméstica. Entre os projetos implementados nos últimos anos encontram-se o desenvolvimento da tecnologia TecSOS, que ajudou mais de 100 mil potenciais vítimas de violência doméstica em cinco países.

A Fundação Vodafone do Grupo requereu à Opinium, empresa internacional de estudos de mercado, um inquérito para avaliar o impacto que a violência doméstica tem na vida profissional e carreira das vítimas. O estudo contou com a participação de 4.715 mulheres e homens de nove países: Reino Unido, Alemanha, Irlanda, Turquia, África do Sul, Quénia, Índia, Itália e Espanha.

O inquérito concluiu que:

  • 37% dos entrevistados sofreram violência doméstica e alguma forma de abuso;
  • 67% confirmaram que o abuso afetou sua progressão na carreira;
  • 51% sentiram vergonha de partilhar os abusos de violência doméstica no seu local de trabalho;
  • Dos inquiridos que partilharam no local de trabalho serem vítimas de abusos, 53% admitiram resultados positivos;
  • 33% admitiram que a utilização de uma App ajudaria a reduzir o impacto da violência doméstica na vida profissional dos trabalhadores.

Contactos

Para esclarecimentos adicionais, por favor consulte a Direcção de Estratégia e Comunicação Externa da Vodafone Portugal, através do formulário de contactos institucionais